Astrologia

ASTROLOGIA

 

©Photo. R.M.N. / R.-G. OjŽda

“Ajuda a natureza e trabalha com ela, e a Natureza vai te conceder como um de seus criadores e te prestará obediência”

Os sábios da antiguidade compreenderam muitos aspetos do comportamento humano através da constante e árdua tarefa de observar os céus.

Por médio do estudo e dos movimentos dos astros, as posições estelares, seus ciclos, suas velocidades, seu posicionamento e sua localização, a uma sorte de compêndio dos acontecimentos dos homens, e logrou-se relacionar a estes últimos com a disposição dos diferentes componentes da esfera celeste.

O homem, em seu afã de conhecer-se a si mesmo e as leis naturais das que é partícipe, se dirige a Astrologia para alcançar aquela chave de leitura, para penetrar desde diversos níveis no misterioso mundo das forças que modulam e dão ritmo a sua vida.

Os dois veículos mais estudados tinham sido desde sempre o Sol e a Lua, as duas grandes luminárias. Isto se deve em um princípio a sua fácil visualização. Mas a razão mais importante radica no que o Sol e a Lua são grandes forças cósmicas que com maior intensidade influem na Terra. Se os considerou como planetas, apesar de que não são. Como bem sabemos, o Sol é uma estrela, a Grande estrela Central dadora de luz e vida, e a Lua é a fiel gêmea e acompanhante da terra, seu satélite natural.

O estudo da Astrologia Tradicional Magica nos dá o seguinte listado de sete planetas, incluído a Lua e ao Sol como tais: Saturno, Júpiter, Marte, Sol, Vênus, Mercúrio e Lua. A estes se adicionam os Nodos Lunares, Cauda Draconis e Caput Draconis (Cabeça e Cauda de Dragão respetivamente) também chamados Nodo Positivo e Nodo Negativo da Lua.

Em tempos modernos, se desenvolveu o descobrimento dos chamados Planetas Novos, é dizer Urano, Netuno e Plutão. Estes se ajustaram como novos fatores de estudo e de incidência astrológica no homem. Pelo tanto, a Astrologia moderna tem doze grandes fatores de geração de aspectos planetários.

O Cosmos nos brinda a diário duas posições de força energética designadas por o Sol e a Lua, com suas horas dispostas de tal maneira que desenvolvem um equilíbrio natural perfeito de todas as coisas criadas sobre a Terra.

Todos os reinos que habitam em nosso planeta se encontram influenciados por estas duas luminárias. Bem sabemos que o dia, com sua luz e calor é tão necessário como a noite com sua escuridão e frio.

Nada pode estar polarizado. Todo deve-se colocar em um justo equilíbrio.

Assim como os povos antigos possuíam um sistema de deuses divididos basicamente em Solares e Lunares, também parte da Magia poderia se dividir em Magia Lunar e Magia Solar.

No estudo da Magia Cerimonial Iniciática, a Astrologia é uma matéria não só importante, senão indispensável para a plena compreensão dos Rituais, Cerimonias, métodos divinatórios e por suposto para o entendimento do processo da influencia que o Cosmos nos aporta através de seus veículos celestes.

Os diferentes planetas dão uma característica mais o menos típica de sua influência.

Desta maneira temos que o Sol marca, segundo o grupo de estrelas ou constelações pela que este transita no momento de nosso nascimento, o signo zodiacal respetivo; este planeta aporta características gerais e influi na personalidade, marcando também o tipo de força que nos guia de acordo a posição na constelação que se localiza. A Lua demarca o caráter e nossa forma interior. Mercúrio nosso caudal de consciência e nossa mente. Vênus nossas características afetivas, os dotes de sensibilidade e amor. Marte a potência, a energia, a decisão, a justiça que nos move. Júpiter os benefícios, a ambição o trabalho, o modo e a filosofia de vida. Finalmente Saturno indica o guia, o justiceiro, o ordenador e castigador.

Outro ponto importante é que o estudo da Astrologia é geocêntrico, é dizer, que localiza a Terra como centro de nosso sistema. Os planetas se deslocam ao redor da terra a distintas velocidades, demarcando diferentes trânsitos. Cada planeta mantém uma orbita particular, mas inter-relacionada com a dos demais planetas de acordo a suas distâncias medidas em anglos de posição. Estes são chamados Aspectos, e geram um estudo muito particular na interpretação das Cartas Astrológicas.

A superfície circular em onde transitam os planetas denomina-se Roda Zodiacal. Esta está configurada para os calcular em uma circunferência, é dizer 360º, dividida em doze porções estabelecidas convencionalmente em 30º cada uma, as quais se denomina Signos Zodiacais. Estes são Casas Zodiacais de um Zodíaco fixo, as quais estão dispostas desde o signo de Áries até o de Peixes, tomando como base a disposição que tem o Sol no Equinócio dos 21 de Março.

Durante dito equinócio, o Sol se localiza na posição mais oriental com respeito ao eixo da Terra. Esta posição coincide com o princípio do Signo de Aries, a partir da qual se determina uma cruz celeste com cada um de seus braços em 90º. A casa pontualmente em cruz são Áries, Câncer, Libra e Capricórnio.

Estes quatro signos são os chamados Signos Cardinais, e determinam o princípio das triadas de cada quadrante da Roda Zodiacal, marcam os Equinócios e Solstícios, é dizer, o princípio de cada uma das estacoes do ano Solar.

Os signos intermédios de cada quadrante em triada são os chamados Signos Fixos ou Kerúbicos. Desta maneira se assimila ao Kerub Touro, representante do Elemento Terra, com o signo de Touro; ao Kerub Leão, representante do Elemento Fogo, com o signo de Leão; ao Kerub da Águia representante do Elemento Água, com o signo de Escorpião; e ao Kerub Anjo ou Homem, representante do Elemento Ar com o signo de Aquário.

Os signos zodiacais que finalizam os 30º de cada triada recebem o nome de Signos Mutáveis. Estes são Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes. Os signos mutáveis são a última parte antes de passar ao próximo quadrante, ou bem, a próxima temporada estacionaria do ano, como seu nome o indica, são tempos de mudanças e mutação.

Os signos Zodiacais se dividem ademais, de acordo a característica elementar que os sustenta. Desta maneira obtemos:

Os signos de Fogo: Áries, Leão e Sagitário.
Os Signos de Água: Câncer, Escorpião e Peixes.
Os Signos de Ar: Gêmeos, Libra e Aquário.
Os Signos de Terra: Touro, Virgem e Capricórnio.

Ao comparar as características e posições de cada um dos signos Zodiacais, podemos determinar as diferenças entre um e outros. Então temos:

Aries = Cardinal Foguinho
Touro = Fixo Terrestre
Gêmeos = Mutável Aéreo
Câncer = Cardinal Aquático
Leão = Fixo Foguinho
Virgo = Mutável Terrestre
Libra = Cardinal Aéreo
Escorpião = Fixo Aquático
Sagitário = Mutável Foguinho
Capricórnio = Cardinal Terrestre
Aquário = Fixo Aéreo
Peixes = Mutável Aquático

A pesar de que tradicionalmente se toma o grau 0º de Áries como começo do Zodíaco, também pode começar-se sua divisão a partir do grau 0º do Signo de Leão, correspondente a localização da estrela Regulus. Esta última forma é a que se aplica no estudo dos decanatos para compreender os Arcanos Menores do Tarô e no estudo da Schamporash.

Hoje em dia, a Astrologia se deformou de seu estado puro e tradicional, com o aporte de muitos e retorcidos temas da Psicologia, especialmente a confusos estudos apressurados das teorias Freudianas, criando desta maneira astrólogos mais parecidos a um Psicólogo sem formação em plena sessão, que a um verdadeiro ocultista dedicado ao estudo e a interpretação de um tema celeste.

A Ordem Hermética da Aurora Dourada (Golden Dawn) trata no possível, de manter inteiros os conceitos próprios de uma Astrologia Mae e Tradicional, aportando e soteniendo a Magia com seus princípios fortes e claros do passado.

Por outro lado, intenta-se romper com a mala compreensão que se tem no Ocidente com respeito ao Karma. Já que comumente se toma um tema natal ou carta natal determinada e se fazem duras declarações tomando aspectos e resultados em forma estática, inamovível, deixando em um estado de total passividade e resignação a quem e dono desta carta.

Não há nada mais afastado que isto da verdadeira Astrologia, pois esta é sim dúvida, uma fonte de dados pessoas para conhecer quais de nossas características estão mas despertas que outras, mas danificadas que outras, para ser deste modo, subsanadas, reparadas, transmutadas, aprendidas e definitivamente assim, podemos anelar as metas que devemos alcançar nesta vida.

Astrologia Tropical e Astrologia Sideral

O sistema utilizado na Astrologia é, na verdade, um sistema matemático ideado para poder elaborar e interpretar cartas.

Mas, na realidade, as constelações e os signos não coincidem entre si como se os presenta geralmente.

Pois, existiu um tempo no que para um 21 de março o Sol estava, ou parecia, estar na constelação de Áries, mas isso já não ocorre hoje em dia.

Isto é conhecido como a “Processão dos Equinócios”, a qual se pode definir como um desplazamento muito lento na pauta celeste, desde o ponto de vista da Terra, a qual tarda 25.800 anos aproximadamente em completar o Círculo Zodiacal.

Devido a este tema, e que na realidade as constelações em nada coincidem com o Signo que se lhe corresponde, a Astrologia se dividiou em duas grandes escolas: A Tropical e a Sideral.

A Ordem Hermética da Aurora Dourada (Golden Dawn) trata de tomar a estas das escolas conduzindo o estudo da Astrologia ao ponto mais próximo ao equilíbrio e ao cálculo justo.

Como bem sabemos, o tema da Astrologia é muito extenso e demasiado técnico por momentos, compreendendo-se só através dos anos e esforço sem igual perseverando no estudo das diferentes escolas.

Dentro do estudo iniciático na Ordem Hermética da Aurora Dourada (Golden Dawn), se requer que o estudante chegue a poder calcular e levantar um verdadeiro horóscopo natal para qualquer lugar e tempo. Também se requer que possa-se calcular o céu de um determinado momento e saber trabalhar e utilizar os aspectos lidos para sua aplicação Ritual. Em todos os casos o estudante necessita saber interpretar as potencialidades que um evento presenta.

Demais está dizer que o estudo da Astrologia é algo fascinante e para aqueles que querem investigar ou bem se especializar nesta matéria, devemos lhe dizer que tomaram uma decisão edificante e enriquecedora para eles mesmos, para seus semelhantes e claramente para sua compreensão, expansão e elevação do Espirito no largo sendeiro até o Grande Arquiteto do Universo.